Categoria em Área de Tecnologia

Os 5 Cursos mais Requisitados na Área de Tecnologia Atualmente

Já faz alguns anos que a área de Tecnologia vem ganhando notoriedade no mercado, mostrando-se um setor robusto e, sobretudo, bastante promissor. Esse movimento tem se intensificado com a transformação digital, que acelerou investimentos em inovações como o cloud computing, o Big Data, a internet das coisas (IoT) e a computação cognitiva. Não por acaso, as carreiras relacionadas a essas e outras vertentes da área de Tecnologia são as que mais chamam a atenção de quem está entrando agora na universidade.

Existem hoje muitos cursos ligados a essa área do conhecimento, tanto presenciais quanto na modalidade de educação a distância (EaD). Diante de tantas opções, o estudante pode ficar um pouco confuso no momento de fazer a sua escolha. Pensando nisso, separamos uma lista com as 5 graduações mais requisitadas pelo mercado de trabalho atualmente. Vamos detalhar também o tipo de formação que elas oferecem e o perfil mais buscado pelos empregadores.

Crescimento da área de Tecnologia x apagão de profissionais: uma conta que não fecha   

Mesmo com o crescimento da busca por cursos de graduação na área de Tecnologia, a carência de profissionais especializados nesse setor ainda é bastante significativa. O segmento vem enfrentando sérias dificuldades para encontrar pessoas com o conhecimento necessário para preencher as inúmeras vagas abertas todos os dias. De acordo com um levantamento do IDC Brasil, publicado no jornal DCI, faltam atualmente pelo menos 100 mil especialistas de TI no País, o que revela um verdadeiro apagão de mão de obra nessa área.

A dificuldade não se limita ao Brasil. Um estudo da IBM mostra que nos Estados Unidos a demanda por cientistas de dados deve crescer 28% até 2020, exigindo do mercado um esforço adicional para encontrar profissionais com o perfil requerido. A defasagem faz com que essa carreira apareça como a mais bem paga de 2019 segundo pesquisa da empresa americana Glassdoor. Quem ocupa uma vaga de cientista de dados receberá, em 2019, um salário base médio de US$ 110 mil anuais (cerca de R$ 410 mil por ano).

Esses estudos indicam que tanto no cenário nacional quanto no internacional as perspectivas para quem deseja ser um profissional da área da Tecnologia são bastante otimistas. A escassez de mão de obra e a necessidade de modernização da infraestrutura de TI das empresas influenciam diretamente na remuneração desses profissionais. Diferentes cargos e funções de quem opta por cursos na área de Tecnologia aparecem em grande parte das pesquisas salariais como uma das faixas mais altas do mercado.   

Mas qual curso escolher? Dentro do setor de TI, o estudante pode seguir por diferentes caminhos, dependendo das suas preferências e aptidões. Há graduações mais voltadas ao desenvolvimento de sistemas e outras ligadas à parte de hardware e de infraestrutura.

As 5 graduações mais requisitadas para quem deseja ser um profissional da área de Tecnologia  

A seguir, vamos elencar os 5 principais cursos da área de Tecnologia, além de detalhar o que é estudado em cada um deles. Dessa forma, você estará mais preparado e tranquilo para tomar a sua decisão.

1. Sistemas da Informação

O profissional de Sistemas da Informação é responsável por administrar os fluxos de informação nas redes de computadores, sejam elas pertencentes a empresas ou a pessoas físicas. Uma de suas principais áreas de atuação é o desenvolvimento de softwares. Ele projeta e processa sistemas de armazenamento e de recuperação de dados conforme a necessidade dos usuários.

O curso de Sistemas da Informação, que é de bacharelado, tem duração de quatro anos. Nesse período os alunos aprofundam seus conhecimentos em disciplinas das áreas de Matemática, Administração e Ciências da Computação. A maior parte das aulas é destinada às atividades práticas da área, quando os estudantes podem testar seus conhecimentos e habilidades no desenvolvimento de programas computacionais.

Depois de formado, esse profissional tem um amplo e diversificado campo de trabalho. Entre outras possibilidades, ele pode atuar na gestão de projetos de TI, arquitetura e administração de sistemas ou na gestão de banco de dados.

Além das ocupações mais tradicionais, é possível também optar pelas áreas de Marketing e Vendas das empresas. Esse campo está disponível para quem se forma na área porque durante a graduação o estudante adquire expertise suficiente para identificar quais equipamentos são os mais indicados para diferentes situações e necessidades.

2. Engenharia de Telecomunicações

O engenheiro de telecomunicações planeja, projeta, opera e faz a manutenção dos equipamentos e sistemas de telecomunicações. Ele tem como responsabilidade garantir a comunicação entre as pessoas por meio de sistemas de telefonia, rádio, televisão e computadores.

Esse curso dura, em média, cinco anos. Em algumas instituições, ele pode estar vinculado ao curso de Engenharia Elétrica. A grade curricular do curso de Engenharia de Telecomunicações é formada por uma base de disciplinas de Ciências Exatas.

Portanto, nos primeiros semestres do curso os alunos aprofundam seus conhecimentos em Matemática, Física e Química. Em seguida, começam a focar em disciplinas mais específicas, quando passam a ter contato com temáticas como Transmissões Digitais e Analógicas, Fibra Óptica e Telefonia.

Esse profissional pode atuar em diversas funções – muitas delas estratégicas – dentro das organizações. Alguns exemplos são a operação de redes de comunicação com ou sem fio, cabeamentos aéreos e subterrâneos e o suporte a redes já implantadas. Ele também pode fazer a gestão dos serviços na área de telecomunicações, trabalhar com a venda de equipamentos e com o suporte em tecnologias de mobilidade.     

3. Engenharia da Computação

Primeiro, é importante deixar claro que Engenharia da Computação é diferente de Ciências da Computação (que veremos logo a seguir). O profissional formado em Engenharia da Computação projeta e constrói computadores prevendo as especificidades de hardware e software que eles terão. Além disso, pode planejar redes de computadores e seus componentes (cabos e roteadores, por exemplo). Outra possibilidade de atuação desse profissional é a área de desenvolvimento de robôs e sistemas de aeronaves.

Essa é uma formação de bacharelado que dura pelo menos cinco anos. Durante esse período de formação, os alunos estudam disciplinas como Inteligência Artificial, Tecnologia de Programação, Engenharia de Software e Eletrônica Digital.

O curso prepara profissionais versáteis, que estão aptos a trabalhar em diferentes áreas e funções. Ele pode ser acompanhado de forma presencial e também na modalidade de EaD em algumas universidades.

A área de atuação desse engenheiro é bastante diversificada. Algumas das indústrias que mais contratam especialistas com esse perfil são a automobilística, a de telecomunicações e a de informática. Essa procura é justificada porque esses setores necessitam de uma grande quantidade de profissionais com experiência no desenvolvimento de inovações.   

4. Ciências da Computação

Quem se forma em um curso de Ciências de Computação atua, sobretudo, no desenvolvimento de programas de informática. O cientista da computação pode criar softwares, aplicativos e até sistemas digitais mais complexos. Alguns exemplos do que esse profissional pode desenvolver vão de simples calculadoras até sistemas de GPS de carros.   

Para formar-se nessa área, o profissional precisa passar pelo menos quatro anos na universidade, onde ele vai aprender mais sobre linguagens de programação. Além disso, estudará muitas disciplinas da área da Matemática (Cálculo, Álgebra Linear, Estatística, entre outras), uma vez que esta é a base da profissão. Entram no currículo ainda matérias como Arquitetura de Computadores, Algoritmos e Engenharia de Software.

A faculdade de Ciências da Computação existe nas modalidades bacharelado ou licenciatura e pode ser presencial ou a distância, dependendo da instituição de ensino. No mercado de trabalho o profissional formado nessa área pode assumir posições em departamentos de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) em empresas públicas e privadas e trabalhar em equipes de desenvolvedores.

5. Redes de Computadores

O segmento de Rede de Computadores está em franca expansão no mercado e o profissional que detém esse conhecimento tem tudo para seguir uma carreira promissora. O curso, de caráter tecnólogo, prepara o aluno para elaborar, implantar e gerenciar projetos lógicos e físicos de redes de computadores locais e de longa distância.

A grade curricular desse curso conta com disciplinas como Redes Convergentes, Comunicações Ópticas, Redes sem Fio e de Banda Larga. Há também algumas aulas práticas, que geralmente são ministradas em laboratórios. Além das matérias mais técnicas, ligadas à programação, arquitetura de redes, cabeamento e banco de dados, os estudantes aprendem noções de empreendedorismo.  

Essa é uma formação que dura, em média, dois anos e meio e oferece muitas oportunidades para o estudante após o término do curso. As opções estão distribuídas por áreas de TI de empresas públicas e privadas, empresas de telecomunicações e provedores de acesso, sendo que o profissional pode atuar também como autônomo, prestando serviço para empresas que fornecem internet, por exemplo.

O que os empregadores mais valorizam no profissional da área de Tecnologia

Assim como acontece com tudo o que envolve a área de Tecnologia, o perfil do profissional requisitado pelos empregadores tem sofrido algumas mudanças ao longo dos anos. Se antes o conhecimento técnico era o principal atrativo, hoje o que mais chama a atenção dos recrutadores é o espírito empreendedor do candidato. Isso porque o próprio retrato desse mercado tem se transformado – especialmente depois do surgimento das startups.

Nesse modelo de negócio, a hierarquia costuma ser menor (até porque são empresas com um número de funcionários reduzido), o que exige dos trabalhadores capacidade para lidar com diversos tipos de situação de forma autônoma. Outra característica muito procurada no profissional de TI é o interesse pelo aprendizado contínuo, já que essa é uma área em que as mudanças são constantes.

Ter uma visão sistêmica também é muito importante. Isso significa que não basta ser um especialista na sua função, é preciso ainda conhecer os processos da empresa como um todo. Somado a isso, podemos destacar a atuação consultiva desse profissional, que deixa de ser um mero suporte para assumir posições mais estratégicas dentro das organizações. Reunindo esses atributos, a chance de sucesso do profissional que escolhe um dos cursos em alta da área de Tecnologia é bastante alta.  

Veja algumas das principais carreiras que você pode seguir em TI:

  • Especialista em cloud computing;
  • Cientista de dados;
  • Especialista em mobilidade;
  • Consultor em Internet das Coisas;
  • Analista de Business Intelligence;
  • Desenvolvedor de banco de dados;
  • Administrador de rede.

Gostou deste conteúdo? Está interessado em fazer um curso na área de Tecnologia? Então procure faculdades que oferecem opções nessa área e que tenham um custo que cabe no seu orçamento – ou que ofereçam boas opções de bolsas ou de financiamento dos estudos. Aproveite também para compartilhar este conteúdo nas suas redes sociais!